A visita de Trump reconheceu a soberania de Israel em Jerusalém

A visita de Trump reconheceu a soberania israelense em Jerusalém. Foi o primeiro presidente americano em exercício a visitar o Muro das Lamentações. Além disso, o presidente Trump visitou também a Igreja do Santo Sepulcro e o Museu do Holocausto, onde falou sobre os 6 milhões de judeus mortos no Holocausto no Yad Vashem. Eis a mensagem deixada pelo presidente dos EUA, Donald Trump, e a primeira-dama, Melania, no livro de visitas do Museu do Holocausto de Jerusalém. "É uma grande honra estar aqui com todos os meus amigos - muito incrível e nunca esquecerei", diz a mensagem, assinada pela presidente e a primeira-dama. O genro de Trump, Jared Kushner é judeu, e sua filha, Ivanka, se converteu

A importância profética da visita de Donald Trump à Jerusalém

Foi fato noticiado na imprensa do mundo inteiro, a visita do atual presidente Norte Americano, Donald Trump, na cidade de Jerusalém, realizada na última segunda-feira, 22. Trump foi o primeiro presidente em exercício dos EUA a orar no Muro das Lamentações e também a visitar a Igreja do Santo Sepulcro, reconhecido historicamente como o local onde Jesus foi sepultado, após sua morte na Cruz do Calvário. É a primeira vez que um presidente americano visita, durante seu mandato, esses dois locais considerados os mais sagrados para o cristianismo e judaísmo. Ficou evidente que Donald Trump estava sentindo-se em casa, em solo israelense. Com um quipá negro na cabeça, e acompanhado da primeira-dama,

Trump se torna primeiro presidente dos EUA a orar no Muro das Lamentações

Por Luke Baker e Steve Holland JERUSALÉM (Reuters) - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, fez uma visita histórica ao Muro das Lamentações de Jerusalém, nesta segunda-feira, 22, e disse algumas palavras em frente ao local sagrado onde os judeus são autorizados a rezar antes de colocar um bilhete entre as pedras do monumento. Trump estava acompanhado do rabino do Muro das Lamentações, Shmuel Rabinowitz, que disse à Rádio Israel que recitou dois salmos com o líder norte-americano -- um deles, o Salmo 122, que fala sobre a paz em Jerusalém. As pedras antigas ficam localizadas em uma parte de Jerusalém que Israel conquistou na Guerra de 1967 no Oriente Médio. O Estado judeu considera J

Video dos 50 anos da Guerra dos Seis Dias

No vídeo acima podemos ver a soberania do Estado de Israel contra cinco exércitos árabes e mais o apoio de outras 10 nações árabes. A Guerra dos Seis dias completará 50 anos no próximo dia 7 de Junho. Durante esta curta guerra em que o país foi atacado de surpresa podemos ver a intervenção sobrenatural divina onde um pequeno exército conseguiu desbaratar nações muito maiores e triplicar seu território em apenas 6 dias de guerra. Não há dúvida alguma que a mão de Adonai foi quem fez o exército de Israel prevalecer, dando coragem, sabedoria, capacidade e inteligência as Forças de Defesa de Israel.

Israel é homenageado no Congresso

Deputado cobra governo Temer que reveja posição do Brasil na ONU A Câmara dos Deputados realizou nesta quarta-feira (10), uma sessão solene homenageando os 69 anos de Independência de Israel. Há mais de uma década a data é lembrada anualmente pelos congressistas. Requerida pelos deputados Alan Rick (PRB/AC) e Jony Marcos (PRB/SE), presidente do Grupo Parlamentar de Amizade Brasil-Israel, contou com a participação de diversos deputados, a maioria integrante da Frente Parlamentar Evangélica. Estavam no plenário também a senadora Ana Amélia Lemos (PP/RS) e Ligia Maria Sherer, que é Embaixadora do Departamento do Oriente Médio do Ministério das Relações Exteriores. Fez-se presente ainda o embaix

Presidente de Israel diz que perseguição aos cristãos é “mancha na humanidade”

O presidente de Israel Reuven Rivlin disse que a perseguição aos cristãos é “uma mancha na humanidade”. Durante um encontro com o chefe do Patriarcado Latino de Jerusalém, o Patriarca Ortodoxo Grego e outros líderes cristãos, o governante analisou a situação dos cristãos no Oriente Médio. Rivlin lembrou dos ataques recentes de grupos extremistas como o Estado Islâmico contra os coptas na Península do Sinai, Egito, bem como repetidos ataques na Síria e no Iraque. “Eu digo a vocês aqui, nossos irmãos cristãos de Jerusalém, estamos com vocês neste momento difícil”, asseverou o presidente. “Todos nós vimos as fotos da Síria. Visitei alguns dos feridos que estavam sendo tratados em hospitais isra

© 2016 ICEJ - EMBAIXADA CRISTÃ INTERNACIONAL DE JERUSALÉM